Artigos

Responsabilidade social empresarial - Mão com uma planta

Responsabilidade social empresarial: Qual a importância de incluir no seu planejamento?

O que é responsabilidade social empresarial

A responsabilidade social empresarial é a admissão, por parte da empresa, de que é participante de um ambiente. A empresa não está isolada como um ente sem contato com o seu entorno e focada na obtenção de resultados puramente econômicos.

A partir da aceitação de sua participação na sociedade é possível perceber que as ações das empresas impactam a vida de diversas pessoas que até então não eram percebidas no desenvolvimento de estratégias de administração.

Os públicos de interesse, os stakeholders como são chamados, não se resumem a fornecedores, clientes, sócios e empregados como usualmente eram considerados.

A nova visão de administração empresarial, amplia o leque de stakeholders para agregar o meio social em que a empresa está inserida, o meio ambiente impactado pela atividade empresarial e coloca-os ao lado daqueles tradicionais e ainda acrescidos da autoridade estatal como participante desse feixe de relações.

Considerar a distribuição efetiva de ganhos para mais impactados pela atividade empresarial passou a ser chamado de capitalismo consciente por escritores que se dedicaram ao estudo do tema. O capitalismo consciente substitui a visão de barganha (um ganha e outro perde) para a construção de ganhos compartilhados (ambos ganham) como forma de manutenção de relações empresariais sadias, prósperas e duradouras.

Essa forma de trabalhar a atividade empresarial já existe há algum tempo e vem ganhando força com a convergência de cada vez mais empresas para esse modelo de gerir negócios. 

O que ela pode representar para a sua empresa?

A percepção das pessoas sobre os padrões de consumo e sobre desenvolvimento está mudando e essa alteração tende a se intensificar. Atividades empresariais que não respeitem o meio ambiente ou sejam expostas em razão do tratamento inadequado de empregados ou colaboradores são marcadas pelos consumidores e pelo mercado causando prejuízos de imagem e consequentemente nos negócios com potencial para levar à ruína.

Ainda que não se leve o caso a esse extremo, os consumidores estão buscando produtos e serviços que estejam comprometidos com o desenvolvimento sustentável. 

Mas não só. Olhando para o interior das empresas, negócios identificados com propósitos empresariais maiores, que transcendam os limites do resultado econômico, têm mais facilidade em atrair e reter talentos, além de mantê-los motivados e comprometidos com a empresa e com o que ela representa.

A segurança e bem-estar proporcionados por empresas engajadas com responsabilidade social reflete na percepção dos consumidores e dos empregados gerando uma cadeia de valor positiva para todos envolvidos.

O mesmo impacto é causado em fornecedores que se sentem respeitados gerando compromisso além do natural obtido com o contrato. O compartilhamento de propósito gera colaboração espontânea.

Quais são os objetivos da responsabilidade social? 

Engana-se quem pensa que o primeiro objetivo da responsabilidade social é maximização dos lucros empresariais. Contudo, esse efeito é percebido também.

O primeiro objetivo da responsabilidade social é causar impacto positivo na sociedade em que o negócio/empresa está inserido. Retribuir à sociedade, esse é o objetivo da responsabilidade social.

Algumas pautas que pareciam em um futuro distante passaram à urgência devido à velocidade das transformações pelas quais o mundo passa. A emergência causada pelas mudanças climáticas, por exemplo, fez com que diversas companhias remodelassem seus planejamentos estratégicos para incluir a transferência para uma economia de baixo carbono em menor tempo.

Com isso, a observância de normas de agentes reguladores já não é mais suficiente para uma empresa permanecer saudável no ambiente de negócios. O mercado busca empresas comprometidas com futuro e essa é a importância da responsabilidade social.

Os 3 pilares da responsabilidade Social Empresarial

A responsabilidade social empresarial vem sendo dividida em três pilares fundamentais:

Responsabilidade Social Corporativa (RSC)

Uma responsabilidade voltada para a transparência e clareza na forma de tomada de decisão e propósitos da empresa: governança corporativa. 

Aqueles que se relacionam com a empresa têm bem claro quais são as diretrizes da organização e como ela age. Não há espaços para surpresas desagradáveis. A lisura nos processos decisórios e a estrutura é montada para promover e garantir o desempenho ético em todos os níveis da empresa.

Responsabilidade Social Empresarial (RSE)

Esse pilar sustenta a relação entre a empresa e seus públicos de interesse no sentido de preservar, incentivar e promover a evolução e crescimento de todos envolvidos na atividade empresarial.

Empregados, colaboradores, fornecedores, governo, sindicatos, enfim, todos que de alguma forma interagem com a empresa são tratados como parceiros, reinterpretando as políticas de barganha para uma nova visão de cooperação e vitória compartilhada.

Responsabilidade Social Ambiental (RSA).

A responsabilidade social ambiental é a promoção de um meio ambiente sadio e equilibrado. A qualidade de vida passa diretamente pela manutenção e melhoria do meio ambiente. 

Afinal, o meio ambiente é condição indispensável para a vida. Esse foco leva as empresas a repensarem processos, desenvolver novas tecnologias para produtos e serviços. 

São três faces de uma mesma ideia.

Quais são as vantagens de ter uma marca que corresponde à responsabilidade social empresarial?

A percepção que o mercado tem sobre marcas socialmente responsáveis passa a integrar o valor da marca.

As pessoas passam a se sentir pertencentes ao próprio negócio que a marca representa, porque há acolhimento.

Fidelização

Diretamente ligado à imagem, a fidelização é consequência da percepção de imagem e acolhimento causado por marcas identificadas com compromissos sociais.

Contribuição social positiva

A contribuição efetiva para o desenvolvimento da sociedade gera criação de valor e essa geração beneficia a todos de maneira geral.

Esse crescimento vai se refletir na empresa. O que muito se fala é na visão de que aumentar o bolo é melhor do que pegar uma fatia maior de um bolo pequeno.

Retenção de talentos

A sensação de pertencimento e compartilhamento de causas evita o desligamento dos melhores empregados.

A segurança proporcionada por negócios transparentes, comprometidos e vocacionados ao crescimento social é fator decisivo na tomada de decisão sobre mudar de emprego.

Motivação 

A retenção de talentos é causada também pela melhoria na motivação da equipe. Pessoas com propósito são mais engajadas e têm no propósito maior sua força para manter o desempenho.

Os estímulos tradicionais não são suficientes para a mudança de mentalidade pela qual o mundo está passando. A motivação cresce na medida que os resultados são maiores.

Aumento da produtividade

A motivação reflete no aumento de produtividade. A razão de desempenhar melhor as atividades não está conectada a somente um ou dois fatores individuais: são a soma de fatores individuais e coletivos que vão desde o ambiente de trabalho até a percepção de resultados colhidos na sociedade.

Relacionamento com fornecedores

A melhoria das equipes internas é sentida no relacionamento com fornecedores. Fornecedores que confiam na empresa e conhecem suas ações e propósitos são mais colaborativos e os ganhos são sentidos em todas as pontas.

Fornecedores com visão limitada de ganhos particulares e de curto prazo não se sustentam no mercado que cresce a cada dia.

Como incluir a responsabilidade social nos planejamentos da sua empresa?

Para todas as práticas apresentadas a seguir é preciso distinguir três fases para implementação: 

Diagnóstico: fase em que tudo que diz respeito ao tema será levantado e analisado e objetivos serão definidos.

Planejamento: o diagnóstico será transformado em ações e metas para atingimento de objetivos.

Acompanhamento: verificação do desenvolvimento das ações e observação de resultados.

Ações ambientais

Analisar e repensar o processo produtivo de forma a ganhar eficiência energética e substituição de matéria-prima por outras de menor impacto ambiental.

Além disso, as empresas podem verificar a geração de carbono e a possibilidade de aplicação da economia circular ao seu negócio.

Por vezes ações simples e com baixo investimento geram retornos grandiosos em matéria ambiental.

Educação e compartilhamento de conhecimento 

Há relatos de empresas socialmente responsáveis que perceberam que alguns empregados estavam endividados e criaram aulas de educação financeira que eram ministradas pelo próprio diretor financeiro.

A empresa percebeu que a crise nas finanças domésticas perturbava um bom número de seus empregados e isso obviamente refletia em sua qualidade de vida. As ações promovidas desenvolveram uma cultura de responsabilidade financeira e crescimento individual dos empregados e de suas famílias que a partir de ações simples obtiveram tranquilidade.

Esse mesmo exemplo pode ser aplicado a diversas áreas, desde a educação ambiental até alimentação saudável e seus impactos na qualidade de vida.  

Conscientização

Promover os propósitos sociais da empresa aos seus públicos de interesse fomenta o desenvolvimento dessas práticas com benefícios coletivos.

Conhecer os fornecedores, suas atividades e desafios não raro gera oportunidades de aperfeiçoamento das relações com ganhos em escala. Por vezes a contraposição entre fornecedor e clientes impede que se perceba sinergias especialmente nas questões sociais e ambientais. 

Compartilhar os ideais da responsabilidade social traz benefícios a todos com quem a empresa se relaciona.

Patrocínio de causas sociais

Algumas empresas criam fundações, outras promovem causas sociais através da própria empresa. Na verdade, não é preciso muita estrutura para a colaboração com causas e sociais ou projetos sociais já estabelecidos.

Há muitos programas que realizam belos trabalhos frente a suas causas e enfrentam escassez de recursos. Colaborar com essas causas é uma forma de promover a responsabilidade social.

Incentivo ao voluntariado

O voluntariado é atividade de grande relevo para ações sociais. Normalmente faltam pessoas para promover as ações programadas pelas entidades e organizações que se dedicam a essas práticas.

Oportunizar e incentivar colaboradores e públicos de interesse a ações de voluntariado colabora com o desenvolvimento das ações sociais e posiciona a empresa no caminho da responsabilidade social.

Exemplos de empresa que estão por dentro da responsabilidade social empresarial

O movimento de transformação da maneira de fazer negócios com acréscimo da responsabilidade social na ordem do dia das empresas forneceu um nome para as organizações que se identificaram com esses ideais: B corporations. 

As B corporations são empresas que além dos resultados econômicos entregam outros valores à sociedade. Inclusive há certificação para empresas que queiram atestar seu alinhamento com essas práticas. No Brasil há uma lista de empresas certificadas que pode ser consultada no sítio https://www.sistemabbrasil.org/  em nível mundial a lista de empresas pode ser consultada em https://bcorporation.net/ .

A Organização Internacional de Normalização- ISO já criou diretrizes específicas para responsabilidade social. A ISO 26000 estabelece diretrizes a orientar empresas que pretendam adotar a responsabilidade social como posição frente à sociedade.

Independente de certificação as empresas brasileiras que são reconhecidas por sua atuação com responsabilidade social, dentre tantas outras são:

NATURA

MOVIDA

PETROBRAS

ITAÚ 

BRADESCO

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Open chat